quarta-feira, 9 de março de 2016

Soneto redundante

Jamais esqueça o brilho das estrelas,
nem se esqueça a força dos oceanos,
muito menos esqueça: vivo pra vê-la,
esta é a maneira de dizer que a amo!

Jamais se esqueça que o dia é dia
e a noite se resume apenas em noite,
não vê-la é minha pior agonia
pior até que falecer no açoite!

Este soneto foi feito com redundância
apenas pra que grave na lembrança
que mais forte que os oceanos

são meus erros de concordância
que aos poucos vão se superando
para que o mundo veja o qto a amo!

Nenhum comentário:

Sonho real