segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Rio Doce

Paris arde em tiros e chamas
e você me pede um poema de amor
no instante que o Rio Doce sob a lama
lentamente agoniza em dor!

A humanidade mata porque é inteligente
ou é inteligente porque mata?
Um dilema em que cria tragédias e acidentes
numa avidez de consumir ingrata!

Paris arde em tiros e chamas
no instante em que Mariana
vê o Rio Doce agonizando

ao arrastar dor e morte na lama
apenas porque o fator humano
destrói tudo o que vai ignorando!

Nenhum comentário:

Sozinhos na multidão

Sozinhos na multidão vivemos cada vez mais isolados, no século da comunicação não percebemos quem está do l...