terça-feira, 10 de junho de 2014

O coisa

Quando eu a vi parada na estação
com todos os trens de seu uso
carregando um trem na mão
tendo nos olhos um trem escuro
eu senti um trem na garganta
sem conseguir pedir que não fosse
sentindo um trem que me espanta,
este trem muito amargo nada doce!
Quando eu a vi parada na estação
senti em mim um trem que me doía
causando este trem frio com calor,
este trem esquisito de uma emoção
que rasgava o peito enquanto sofria
sem ver o coisa que de mim a levou!

Nenhum comentário:

De Victor Hugo a Frejat

Soneto I Eu lhe desejo de todo coração que você seja muito, muito feliz, que seja o dono de sua emoção e no amor...