terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Crônicas da Nemédia



“Saiba, ó Príncipe, que nas eras que os oceanos
tragaram Atlântida e as reluzentes cidades,
e os Filhos de Aryas foram se levantando
teve a magna era com fantásticas sociedades;

Haviam reinos esplendorosos pelo mundo
como míriades de estrelas no firmamento
com suas lindas mulheres de olhares profundos
e torres de mistérios a inebriar o pensamento;

Não obstante, o mais orgulhoso era Aquilônia, 
que dominava no delirante oeste com força
se guiou Conan, o cimério, de cabelos negros,

de olhar feroz, frio e mortal feito peçonha
com a espada na mão e uma fúria louca
humilhou os tronos pois nascera sem medo!"

Crônicas da Nemédia
(M. Evaristo) #conanobarbaro
#fdp_feradapoesia / Curta @poetamauro 
#frutosdapoesia / Imagem Google 

Nenhum comentário:

De Victor Hugo a Frejat

Soneto I Eu lhe desejo de todo coração que você seja muito, muito feliz, que seja o dono de sua emoção e no amor...