sábado, 15 de junho de 2013

Eterno eu poeta

Você não deu valor ao meu eterno eu poeta
cujo único motivo era viver através de você
a poesia que deixava meu coração em festa
e cada dia tentava em seus braços renascer!
Você não deu valor ao singelo e doce menino
que jamais conseguiria sem sua ajuda me tornar
feliz a se perder em desejos, sonhos e desatinos
e que você jamais deixou em mim se manifestar!
Você jamais deu valor ao meu eterno eu poeta
que só queria nesta vida por sua causa poetar
os delírios do amor eterno que nem viu um verão
mas que manteve a alma em uma infinita festa
que por você poderia a cada minuto se eternizar
mas, você dispensou com um simples aceno de mão!

Um comentário:

Vinteedois (igor) disse...

Poesia não é meu forte, mas tenho que reconhecer o seu talento: muito bom!!!!

A oração e o divino