quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Castelos de areia

( Copiando Nuvem passageira )

Não posso escrever seu nome numa pedra
Por que a pedra em pó vai se transformar
E viver é seguir em frente sem temer as quedas
Ou que os castelos de areia se desfaçam na beira do mar!

Mesmo com a lua cheia convidando para um longo beijo
Tenho o relógio que me cobra a vida para o dia de amanhã
Enquanto que aqui sozinho, perdido e louco no meu leito
E a namorada apaixonada me procura com beijos de hortelã!

Não quero nada de diferente do que apenas dançar na chuva
sem medos ou razões para sofrer ou mesmo chorar
afinal viver para cada um tem um porquê ou motivo

e eu mesmo procuro por minha razão ou loucura
que me faça simplesmente sorrir e acreditar
que viver para quem sabe amar jamais será tempo perdido!

Nenhum comentário:

Andarilho