terça-feira, 11 de setembro de 2012

Palpite infeliz

Nada do que falei era sério
Eu não devia fazer o que fiz,
Tentei apenas alegrar o tédio.
Que palpite infeliz!
Eu não podia saber
O que você pensava
E iria sofrer
Apenas porque me amava!
Eu não podia sentir
Que você era assim
Do tipo que se magoa
Só porque me omiti
Que eu sou livre assim
Meio perdido meio a toa!

Nenhum comentário:

De Victor Hugo a Frejat

Soneto I Eu lhe desejo de todo coração que você seja muito, muito feliz, que seja o dono de sua emoção e no amor...