Páginas

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Ingratidão.

Não agradecia ao sol,
Não agradecia a lua,
Não era grato ao arrebol
Nem aos pingos da chuva!

Não era grato ao amor,
Não reconhecia os carinhos
Só lamentava a dor
E os dissabores do frio!

Não reconhecia a cama
Sobre a qual sempre deitava,
Não retribuía o calor e os beijos

E ainda dizia que a chama
Que a todos alardeava
Não passava de um ingrato lampejo!

Nenhum comentário: