quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Escombros de castelos.

O som propagando no espaço
Não é audível por mim
Feito o beijo e o abraço
Que em breve terá fim!

Um dia o mundo eu espero
Será feito de sinceridade
E não escombros de castelos
Traços comuns da atualidade!

Sei por certo que falo
Por magoado o coração
E nesta mágoa padeço,

Mas, com esperanças me calo
Por saber que neste chão
Tudo o que sofro não mereço!

Nenhum comentário:

Andarilho