domingo, 12 de agosto de 2012

Distinto.

A caneta com a qual escrevo
perde-se a correr pelo papel
e quanto menos me conheço
mais me procuro no céu!

O papel que recebe as palavras
não sabe metade do que sinto
mas, aceita minhas dores e mágoas
dando a elas um sentido tão distinto!

Na vida cada tem uma missão
e cumpro a minha de  escrever
sentimentos, idéias, palavras

por carregar em mim a emoção
que me faz sutilmente perceber
que minh'alma não tem parada!

Nenhum comentário:

De Victor Hugo a Frejat

Soneto I Eu lhe desejo de todo coração que você seja muito, muito feliz, que seja o dono de sua emoção e no amor...