quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Circo.

Ao ver o segundo irmão
Declarando guerra ao primeiro amigo
Vejo claramente a população
Pagando também por isto!

Trinta mil dólares caíram do céu
E tem C.P.I’s que não acabam mais
Enquanto dançam como num bordel
Do Oiapoque as minhas gerais!

Nos ágeis passos do caranguejo
Meu país vaga despercebido
De bicicleta, mochila e guarda-chuvas

Enquanto não acredito no que vejo
Que para falar do primeiro amigo
Tem de provar que não tem loucura!

Nenhum comentário:

Andarilho