Páginas

sábado, 16 de junho de 2012

Fardo

Não quero compor o soneto
A ode gasta de um tempo gasto.
Se não me envolvo não me comprometo
Logo não vivo apenas pela vida passo!

Não quero o poema em vão
Criado para agradar uma mulher
Que me golpeia o coração
Roubando-me a força e a fé!

Não quero a dor da poesia
Feita com presunção e arrogância
Que pensa ter sido criada pelo melhor,

Pois já me chega o fardo do dia a dia
Gasto e desgasto na lembrança
De ter vivido e sofrido tão só!

Nenhum comentário: