Páginas

segunda-feira, 18 de junho de 2012

O homem calado

Ele sempre foi assim
sem jamais explicar o por que,
apenas aguardava. Tudo na vida tem fim
e não demonstrava sofrer!
Vivia feito um quadro
reservado em seu canto.
Levava assim o seu fardo
e não reclamava do pranto!
Seguia, sem saber, mas seguia
e ninguém o via parado
nem demonstrava alegria
ao caminhar pelos verdes prados
mudo e solitário em sua agonia.
Do jeito que vivera também morrera: calado!

Nenhum comentário: