domingo, 24 de junho de 2012

De frente para o inimigo.


Numa tarde ensolarada 
De um mormaço infernal, 
Encontramos-nos na estrada 
Para um confronto final!


O ódio em nós era forte 
E lágrimas infestavam o ar. 
E aquele cheiro de morte, 
Fazendo o tempo parar!


Mas de repente uma luz 
Surgiu de outra dimensão,
Inundando-nos com seu brilho 


Que fortemente traduz
Que há sempre salvação.
Mesmo de frente para o inimigo!

Nenhum comentário:

Andarilho