Páginas

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Ato de contrição.


Perdão! Peço-o não por mim,
Ou mesmo por algo que fiz,
Mas por ver a vida tal qual um jardim,
E nisto crer que sou feliz!


Peço perdão pela palavra
Que guiada por mão de carinho
Não viu a rede que a enredava,
E que antes da flor gerou espinhos!


Peço perdão não pelo meu erro,
Mas por crer na vida
E o que nela se faz.


Nesta crença que gera desterro,
Podendo jurar até que sigo a trilha,
Porém, neste caminho não volto mais!

Nenhum comentário: