domingo, 24 de junho de 2012

Aos amores perdidos

Aqui, perdido e parado
Sem ter por onde seguir,
Vivo igual bicho apavorado
Sem consciência do que sentir!
Viajando qual folha partida,
Perco-me na multidão,
Sou mais uma fera vencida
Pelas artimanhas do coração!
Lembrando algumas passagens
Alegres e desconsertantes
Com lágrimas e poucos risos,
Vejo que só restam imagens
Que as dedico como antes 
Aos amores perdidos!

Nenhum comentário:

Se reinventa